Curiosidades

Por que o nome Ragdoll?

A tradução literal do idioma inglês, onde surgiu a raça e quer dizer “boneca de pano”, das famosas bonecas de pano americanas Raggedy Ann e Raggedy Andy. Ele foi assim nomeado por que quando pegamos um gato dessa raça no colo, ele fica completamente relaxado, como se fosse realmente um boneco de pano.

Como surgiu a raça?

Ann Backer foi  a criadora da Califórnia que idealizou e introduziu a raça Ragdoll. Ela criou sua própria entidade, conhecida como IRCA (International Ragdoll Cat Association). 

Mais detalhes sobre a história e origem você pode conferir neste link.

O Ragdoll é um gato gigante?

É a segunda maior raça de gatos do mundo, sendo a de desenvolvimento mais lento, pois um Ragdoll só termina seu crescimento por volta dos quatro anos de idade, podendo um macho adulto castrado chegar aos 8-10 quilos.

Importante aqui é reforçar que tamanho em si não é peso, e obesidade é uma doença. Existem muitos gatos grandes, mas de ossatura leve, e desta forma mais leves. Uma boa alimentação super premium, cuidados e viver em um ambiente feliz e tranquilo também fazem toda a diferença no desenvolvimento de qualquer animal.

Os Ragdolls nascem sempre brancos?

Os filhotes de Ragdoll são gatos ponteados, ou seja, nascem brancos e começam a definir o padrão e as cores por volta dos 15 dias de idade. Quanto mais clara for a cor, mais tempo vai demorar para ela se definir. Já no caso dos lynxs, eles apresentam a borda interna da orelha branca e listrinhas o que facilita sua identificação. 

Como posso saber se estou comprando um Ragdoll de um criador responsável ?

Existe todo um criterioso trabalho na criação de gatos, seja qualquer a raça. Para quem estiver disposto a adquirir um Ragdoll ou qualquer gato de raça legítimo, procure referências junto a alguma entidade felina (FIFE, TICA, CFA, WCF), associação ou clube (CBG, Felisul, Felis Catus, etc),  em  revistas especializadas (Pulo do gato) no assunto a indicação de criadores sérios e que possam vender um gato de raça ou indicação de um amigo, alguém de confiança. O pedigree é a identidade oficial deles. Apenas gatis idôneos, sérios e que seguem regras mínimas de cuidados tem pedigree. Ele não custa caro, ao contrário do que muitos imaginam, mas ele atesta que o filhote é filho de pais legítimos, e o criador esta seguindo os padrões mínimos e cuidados de criação.

Não comprem em sites de vendas coletivas, pet-shops ou feirinhas. Em geral são de pessoas que criam e mantém os gatos no fundo de quintal, em gaiolas, que vivem apenas da venda de animais e não tem nem como oferecer um pedigree pois nem sabem quem são os pais. Criadores sérios e idôneos são filiados as entidades felinas e seguem determinadas regras que assegurem a saúde, origem, bem estar dos gatos entre outros. Criadores que não seguem as regras, são denunciados e expulsos. Existem taxas e também são disponibilizadas informações fundamentais para uma criação séria.

E para quem não quiser ou puder comprar um gato de raça, procure algum local de adoção, sempre existem gatinhos abandonados esperando por um lar. 

Além disso temos em nossa página de recomendações mais dicas para a escolha de um filhote saudável.

Por que os Ragdolls são vendidos castrados ou esterilizados ?

  • Animais de companhia castrados ou esterilizados tem menor distração com seus instintos sexuais. Eles se tornam mais responsivos e companheiros aos membros da família.

  • São menos propensos a vagar pelas ruas e se perder ou se machucar em busca de um par (gatos machos podem sentir o cheiro de uma fêmea no cio a grandes distâncias ou andares (prédios))

  • São menos propensos a brigar com outros gatos, se resguardando de muita dor, risco de adquirir doenças e seus donos de terem altas despesas veterinárias.

  • Contrariamente às crenças populares, não faz do gato preguiçoso ou gordo. Além disso, o metabolismo dele muda após a castração/ esterilização e o odor da urina diminui.

  • Se já existe abandono de crianças, imaginem de animais... Por isso, castrar um gato não é uma crueldade, é um ato de amor !

  • Os gatos são apenas vendidos inteiros  para outros criadores responsáveis, que estejam cientes da responsabilidade, custos e tenham já gatil devidamente registrado.

Para aqueles que têm fêmeas:

  • A fêmea esterilizada é menos propensa a desenvolver câncer ou piometria, uma infecção uterina comum em fêmeas não castradas.

  • As fêmeas no cio também podem  urinar e defecar em lugares inapropriados e mancham carpetes e mobília. Além disso, elas podem miar durante o cio, atraindo os machos, que se tornam nesta fase de cio briguentos, barulhentos e incômodos. 

  • Fêmeas prenhes comem muito mais e demandam de maiores cuidados, acompanhamento (exames, testes, ultrassonografias) e suplementação alimentar.

  • Criar os filhotes é custoso. A alimentação, vermífugos, vacinação, despesas veterinárias, alimentação especial e dedicação com cuidados consome muito tempo. Existem muita dedicação, tempo e também ainda a escolha de novos lares.

Para aqueles que têm machos:

  • Os machos castrados são menos propensos a sofrer de infecções ou doenças nas glândulas reprodutivas ou prostáticas, ou ainda desenvolver problemas genito-urinários. Essas doenças podem levar a doenças nos rins, o problema mais comum em machos não castrados com mais de cinco anos de idade.

  • Os machos não castrados demarcam, fazem “spray”, um ato típico de urinar para marcar o território tanto dentro como fora de casa. Esse spray tem um odor inconfundível, e forte. Castrar os gatinhos ainda jovens, ajuda a eliminar este hábito.

  • Evitar que eles fujam e se metam em brigas pelos cios de fêmeas, onde eles podem também adquirir doenças de outros gatos não devidamente vacinados e cuidados. 

Qual a diferença entre castração e esterilização ? A cirurgia é segura?

A diferença é que os machos são castrados e as fêmeas são esterilizadas. Na castração, o veterinário através de uma cirurgia remove os  testículos do gato. No caso da esterilização, é realizada um cirurgia de remoção do útero e dos ovários.

Ambas as cirurgias são seguras, são feitas sob anestesia normal ou inalatória, e tiram do animal a capacidade de se reproduzir. O animal geralmente esta recuperado após algumas horas, dependendo muito da idade e do animal. Para maiores detalhes, consulte um veterinário de confiança.

Hoje em dia o risco de existir alguma infecção durante esse procedimento é praticamente nulo, a não ser que o gato já venha apresentando outros problemas de saúde. Por que os veterinários utilizam materiais descartáveis, e existe todo um procedimento a ser seguido.

Por ser um gato gigante a expectativa de vida do Ragdoll é menor que a de um gato de tamanho normal ?

Não. Ele é um gato como todos os outros. Os gatos castrados tendem a ter um tempo de vida maior em relação aos não castrados, principalmente aos reprodutores, pois não tem stress com cios, acasalamentos e disputas de território com outros machos.

É verdade que o Ragdoll não forma bolas de pêlo como os Persas ou outros gatos?

Não, assim como todos os gatos. As bolas de pelo se formam por que o gato se lambe, e a língua deles é áspera, vai removendo os pelos mais velhos, mortos. Por isso as escovações regulares ajudam a remover esses pelos e evitar que eles acabem lambendo tantos pelos. Alias todos os animais trocam de pelo ou pele dependendo da espécie. A diferença é que eles tem o pelo parecido com o dos coelhos e sua muda é consideravelmente menor que outros gatos de pelo longo. A pelagem deles é semi-longa.

A perda de pelos ocorre com maior intensidade no verão, devido ao calor, quando eles também tendem a comer menos, voltando ao normal nos meses mais frios.

Situações de stress, como visitas ao médico veterinário, banhos ou sair de casa, aos que não estão acostumados entre outros, pode também aumentar a queda. Considerem quando nós ficamos com calor, ou nervosos, ansiosos, também suamos mais, da mesma forma eles perdem mais pelo.

O pelo do Ragdoll forma nós como os gatos Persas?

Não. Os Ragdolls tem pelagem semi-longa e por terem uma pelagem mais sedosa, macia e que lembra a dos coelhos, dificilmente os pelos dos Ragdoll formam nos.  Quando acontece é por falta de escovação, ou quando eventualmente o gato é tosado e os pelos começam a nascer. As escovações não precisam ser diárias, sendo que escová-los uma vez por semana é o suficiente. Os subpelos podem aumentar mais no inverno, e se ficarem muitos longos, podem formar nos em regiões de maior atrito, como debaixo das patinhas dianteiras, abdomen.

É verdade que o Ragdoll não causa reações alérgicas em pessoas alérgicas ?

Não. Na verdade as pessoas não são alérgicas a determinadas raças, ou ao pelo do gato, cão, ou outro animal, e sim a saliva deles, que acumula várias bactérias, poeiras. E como o gato tem por hábito se lamber muito, as pessoas tendem a achar que tem apenas alergia ao pelo do gato.  Ambientes não higienizados, limpos com frequência faz com que algumas pessoas, principalmente com renite alérgica, por exemplo, sintam mais alergia. Na verdade são aos ácaros que eles foram juntando deitados pelo chão móveis, sofás e ao se lamber, ficam na saliva.

Portanto, pessoas que sofrem com alergia à animais terão as mesmas reações com o Ragdoll. 

Hoje em dia existem exames, tratamentos e a exposição frequente em casos mais brandos gera anti-corpos, reduzindo assim a alergia. Além de produtos específicos no mercado para pets, como banhos-secos, por exemplo.

O Ragdoll tem um miado alto como o dos siameses ?

Não. Apesar de ser um gato gigante, os Ragdolls, quando tem, geralmente tem um miado muito baixo, e raramente o ouvimos. Porém se ensinados desde cedo podem aprender a corresponder, ou em convívio com outros ganhos, onde eles passam a se imitar. Mas em geral tendem a nos acompanhar por tudo, e quando querem chamar atenção e pedir carinho, deitam no chão com suas fofas barriguinhas para cima para serem afofadas, ou ronronando.

É verdade que o Ragdoll tem genes humanos ?

Não, isso foi um boato utilizado para promover a raça pela criadora de fundação da raça, Ann Backer. O sangue humano é diferente do sangue dos felinos, o que torna impossível o Ragdoll ter genes humanos.  

É verdade que o Ragdoll é descendente da seleção de gatos domésticos, persas e birmaneses ?

O Ragdoll é um gato de raça híbrida, ou seja, não existia na natureza e foi desenvolvida através da intervenção humana. A verdadeira origem da raça ainda hoje é um mistério. Mas segundo o que diz a história, tudo começou com a Josephine, uma gata branca sem raça definida, "parecida" com um gato da raça Angorá. E que depois disso, Ann Backer teria feito um trabalho de seleção com raças como persas e birmaneses até chegar no padrão ideal do Ragdoll. E no caso do fator lynx, veio do cruzamento com maine coons.

Se eu cruzar um gato de rua com um persa como a Ann Baker, terei um Ragdoll ?

Não, definitivamente não. A criadora Ann Backer idealizou e fez todo um trabalho de seleção para desenvolver a raça, suas características, temperamento, tamanho e padrões. Levou anos. E tudo começou com a Josephine, com os filhotes que ela teve após um acidente, e que apresentaram um comportamento muito dócil e de relaxamento, o que despertou o interesse nela. Que na verdade hoje acreditamos ter sido por ela ter criado eles dentro de casa, como membros da família. Diferente de como acontecia antigamente, e as pessoas mantinham os gatos isolados, num rancho, ou quarto dos fundos, sem contato constante com humanos.

Todos os gatos para serem de origem pura deve obrigatoriamente ter pedigree. Somente ele atesta a real origem e procedência do gato. Ele não custa caro, porém o criador deve estar de acordo com termos de ética e responsabilidade de criação.

É verdade que o Ragdoll é o gato mais calmo e relaxado que existe?

Sim. Eles são muito calmos, dóceis, fiéis e companheiros aos seus donos. Não são muito de correr e subir pelos móveis, mas quando brincam são verdadeiras crianças, achando graça e diversão em tudo. Costumam se adaptar muito bem a com crianças, idosos e outros animais da casa, inclusive cães. Quando felizes e num ambiente tranquilo, estão sempre relaxados e também são muito inteligentes, costuma atender pelo nome e retribuem o carinho recebido. Quanto mais carinho e amor você der a um Ragdoll, mais ele irá retribuir!

Ragdolls não sentem dor?

Sim. Eles sentem dor como qualquer outro gato. Embora muitos acreditem que devido o fato deles manterem a musculatura mais relaxada, que eles tenham maior tolerância a dor. Mas como qualquer gato ou animal, se submetido a dor ou tortura irá se defender por instinto. Mas diferente da grande maioria das raças, ou gatos sem raça, eles não costumam ser agressivos. Ele precisa ser muito mal-tratado, estar sofrendo maus-tratos, com dor ou medo para ser agressivo, no caso, legítima defesa.

Todos os Ragdolls tem sempre olhos azuis?

Sim, de acordo com o padrão idealizado pela criadora Ann Backer. 

Ragdoll, Ragamuffin, Minks e Sólidos são todos classificados como Ragdolls ?

Não. Como existiu um trabalho de seleção, a criadora Ann Backer selecionava apenas os melhores indivíduos para o seu programa, descartando os demais que estavam fora do padrão: uma só cor, cor de olhos diferente de azul, os que eram menores ou que apresentavam comportamento diferente do desejado, uma vez que eram misturadas algumas raças e em evolução.

Porém algumas pessoas que foram adotando muitos desses gatos, desistiram da entidade inicial da época, a IRCA e criaram uma nova raça, que são os Ragamuffin. Ela inclusive é aceita em algumas entidades felinas que emitem inclusive pedigree.

Os Minks também são gatos colorpoints, ponteados, e apresentam os olhos em tons de verde / verde acqua.

Já os sólidos são gatos de uma cor só, e com qualquer cor de olhos, diferente de azul.

A FIFE e a WCF não reconhecem e nem emitem pedigree. Para maiores detalhes sobre a aceitação e reconhecimento da raça, consulte o site oficial de cada associação ou entidade. (TICA, FIFE, CFA, WCF, etc).

É verdade que o Ragdoll foi misturado com gambas e racoons (guaxinins) ?

Não. Ann Baker pretendia acasalar seus gatos para obter caudas listradas. Ela chamaria essa raça de "Honeybears". Mas não há fatos de que isso tenha acontecido. 

E a variação lynx veio do cruzamento e seleção com gatos da raça Maine Coon.

Qual a diferença entre um gato show, breeder ou pet ?

Para quem procura um gato para companhia, castrado e que apresente as principais características da raça Ragdoll, isto não fara diferença. Pois os criadores sérios que vendem seus gatos castrados para companhia  não fazem essa diferenciação. Embora existam alguns que façam e cobrem mais pela diferença.

Essa diferença basicamente existe no meio da criação, para criadores e existem muitos critérios e detalhes que tornam realmente complicada a criação de Ragdolls. Cada entidade ou federação tem seu Standart e regras. E elas são importantes para que os criadores sigam mantendo o padrão evitando a degeneração da raça ou problemas genéticos. Resumidamente seria:

Pet: É o gato que não atende 100% ao padrão, standard oficial da raça. Este gato não deixa de ser um Ragdoll, pelo contrário, em geral são os mais carinhosos. Porém para fins de exposições e reprodução se busca sempre o melhor da raça, e ele não teria chances no caso de exposições. Já no caso de ser reprodutor, ele seria um filhote que tenha alguma marcação fora do ideal do standard e que desta forma tenderá a se repetir nos filhotes, fugindo assim do padrão ideal.

Um exemplos de cada padrão: Bicolor que não tenha o nariz rosa, Mitted com a ponta do rabo branco, colorpoint com alguma mancha de branco. Um penalidade geral, gato com a cauda quebrada, estrabismo, etc

Breeder: É o gato que não é a perfeição do standard, tem algo fora do padrão, mas que não necessariamente seja algo que repasse aos seus filhotes. Embora saibamos que não existe gato perfeito.Ele é o gato que não teria também muitas chances de competir em uma exposição se houverem concorrentes melhores que ele (standard).

Exemplos: Cor de olhos azul mais claro, perfil médio, porte menor.

Show: Não existe um gato perfeito, mas é aquele que dentro do conjunto esperado do standard da raça esta o mais próximo do ideal. Não pode ter nenhuma das penalidades restritas no standard. São gatos que podem competir em exposição. É um gato que geralmente fica no gatil ou priorizamos para clientes que pretendam expor ele.

Exemplo: Bicolor bom um V bem simétrico, boa cor de olhos, perfil ideal, tamanho, boa pelagem e temperamento.

Maiores detalhes sobre os standard da raça você pode conferir diretamente nos links oficiais das federações felinas: TICA, FIFE, CFA, WCF.

Ainda tem alguma dúvida?

Você pode nos enviar sua pergunta por e-mail: blumenkatzen@gmail.com

Please reload

logo preto transparente.png